No silêncio...

21:58 0 Comments A+ a-


Assim como do fundo da música 
brota uma nota 
que enquanto vibra cresce e se adelgaça 
até que noutra música emudece, 
brota do fundo do silêncio 
outro silêncio, aguda torre, espada, 
e sobe e cresce e nos suspende 
e enquanto sobe caem 
recordações, esperanças, 
as pequenas mentiras e as grandes, 
e queremos gritar e na garganta 
o grito se desvanece: 
desembocamos no silêncio 
onde os silêncios emudecem. 


Octavio Paz, in "Liberdade sob Palavra" 
Tradução de Luis Pignatelli.




Artista: Marcos e Belutti
Album: Otras
Música: Silêncio

Já não tenho palavras
Não sei de mais nada, o tempo já levou
Só um grande vazio em mim ficou
E um frio de amor

E essa calma que rompe o coraçao
Nesse jogo eu fui o perdedor
Só ficou aqui dentro o seu silêncio
Eterno e mudo como o tempo
No meu peito só restou o silêncio
Tão grande, tão vazio e tão perto
Como queima essa dor do silêncio
Que toma todo espaço no corpo
Como dói esse silêncio de amor

Que difícil ficou seguir respirando
Sabendo que não estás
Se eu pudesse encontrar uma razão
Que me ajude a entender
Que eu não vou mais te ver

E a ferida que sangra o coraçao
Um espinho cravado sem razão
É tão grande a dor do seu silêncio
Eterno e mudo como o tempo
No meu peito só restou o silêncio
Tão grande, tão vazio e tão perto
Como queima essa dor do silêncio
Que toma todo espaço no corpo
Como dói esse silêncio de amor

E a ferida que sangra o coraçao
Um espinho cravado sem razão
É tão grande a dor do seu silêncio
Eterno e mudo como o tempo
No meu peito só restou o silêncio
Tão grande, tão vazio e tão perto
Como queima essa dor do silêncio
Que toma cada espaço do corpo
Como dói esse silêncio de amor


Texto:  Affonso Romano de Sant’Anna

Preciso do teu silêncio
cúmplice sobre minhas falhas.
Não fale.
Um sopro, a menor vogal pode me desamparar.
E se eu abrir a boca minha alma vai rachar.
O silêncio, aprendo, pode construir. É um modo
denso/tenso – de coexistir.
Calar, às vezes, é fina forma de amar.


_______________________________________________________________________________


Fotos:







Gosto da noite imensa,
triste,preta,como esta estranha borboleta
Que eu sinto sempre a voltejar em mim!...











Postagem:Dìí Fonceca